Pimentos: 2 receitas para usar mais este ‘super vegetal’

Pimentos… muito para além das sardinhas

Em Portugal os pimentos estão inevitavelmente ligados às sardinhas assadas. Não são muito usados para além disso, curiosamente. E ainda por cima são classificados de indigestos, o que desencoraja ainda mais o seu consumo.

Também foi assim para mim, até que comecei a ler livros de culinária de outra nacionalidades. Os pimentos foram aparecendo de outras cores que não o verde e em situações completamente diferentes da salada de pimento assado – que eu adoro, por sinal, muito mais que as próprias sardinhas.

Glow, Chef, Glowchef, pimentos, cogumelos, caldo verde

Não procuramos diariamente alimentos com grande potencial antioxidante?

Ora aqui está um mesmo à mão!

O meu (quase) fanatismo pela alimentação saudável levou-me a explorar a figura do pimento com mais atenção. Afinal, o seu teor de vitamina A e de vitamina C é uma motivação suficientemente forte.

Sobre ser indigesto… é verdade que requer habituação. Se das primeiras vezes que comia pimentos passava uma tarde a lembrar-me do facto, com o tempo isso foi passando. Também é verdade que eu não engulo as minhas refeições sem as mastigar bem. Nesse aspeto, eu fui pioneira do “Mindfulness” – garfadas pequenas e 30 mastigadelas pelo menos 🙂

Mas então, como cozinhar?

O sabor é forte e tende a sobrepor-se ao dos seus companheiros de prato. Por isso, há que escolher os momentos para os consumir.

Na minha modesta opinião, os pimentos ficam fantásticos numa refeição vegetariana, onde a sua dominância é bem vinda, num universo de sabores mais suaves. Também acho que podem ficar bem com peixe, mesmo além das queridas sardinhas (hummmm, agora estou a ficar com saudades delas…). Não costumo comer pimentos numa refeição com carne, não sei bem porquê.

Como tenho um respeito infinito pelos riscos associados ao fogão, não queimo os pimentos no lume vivo, como se faz para a salada das sardinhas. Uso antes o forno, onde os pimentos também encontram uma simpática consistência suave, acompanhada de um sabor mais adocicado e menos fumado do que se forem assados no lume.

Pimentos assados no forno

Quando quero apenas assar os pimentos, a sós ou como parte de uma mistura de legumes assados no forno, faço assim:

Aqueço o forno a 180º C.

Lavo os pimentos e seco bem. Corto ao meio, tiro o tronquinho, todas as sementes e ainda alguma película esbranquiçada que possa ter (não é muito fotogénica). Nesta altura escolho se quero pedaços em tiras ou em cubos e corto-os.

Ponho num tabuleiro forrado, tempero com sal, pimenta e alguma erva que me apeteça – pode ser tomilho, oregãos ou mesmo a mistura “ervas da provença”. Borrifo com azeite ou óleo de coco derretido.

Ponho a assar no forno por 30 minutos, agitando-os a meio do tempo para não pegarem.

Mas, pelo seu feitio, os pimentos são tacinhas perfeitas para rechear!

E foi isso mesmo que fiz esta semana.

Muitas vezes vês legumes recheados com carne picada. Não era, de todo, isso que me apetecia.

Queria encontrar uma receita que os tornasse uma refeição completa mas saudável e, se possível, vegetariana. Ou mesmo vegan, que eu não sou de meias medidas.

O ponto de partida foi uma receita da Ella, do livro Deliciously Ella Everyday, de pimentos recheados com cogumelos. Com as minhas obrigatórias adaptações, claro: alterei ligeiramente a forma de temperar os cogumelos, alonguei os tempos de cozedura tanto dos cogumelos como dos pimentos, para se tornarem mais macios e … juntei couve galega, ou seja caldo verde!

Pois, estranho, não é? Nem por isso … eu faço muitas vezes a couve cortada como caldo verde e salteada. É que esta couve também é um verdadeiro “super alimento” em termos das vitaminas A e C e do cálcio que contém.

E eu preciso sempre de verde no prato. Tinha um saco de caldo verde fresquíssimo, acabadiço de cortar, no frigorífico, não resisti a experimentar.

Aquela mania de cobrir todos os legumes recheados com uma grossa camada de queijo para mim não resulta. Acho mesmo um absurdo. Por isso peguei na sugestão da Ella, que usa tahini no tempero e amplifiquei um pouco a coisa, para tornar o recheio mais colante. Confesso que o visual fica um bocado enlameado quando usamos o tahini nos molhos, mas o que perdi em aspeto ganhei em sabor.

Glow, Chef, Glowchef, pimentos, cogumelos, caldo verde

Eu fiz dos pimentos uma refeição, acompanhados com salada.

Pimentos recheados com cogumelos e caldo verde

Ingredientes

Para duas pessoas

  • 2 pimentos – eu usei vermelho e amarelo porque são lindos 🙂
  • 12 cogumelos – usei dos chestnut
  • 1 chávena de chá de couve galega cortada em caldo verde
  • 2 dentes de alho
  • 2 colheres de sopa de azeite virgem extra
  • 1 colher de sopa de óleo de coco
  • 1 colher de café de oregãos secos
  • 1 colher de café de sal marinho
  • 1 colher de café de pimenta preta
  • 2 colheres de sopa rasas de tahini (pasta de sésamo)
  • sumo de meio limão
  • 20 grs de pinhões ou de sementes de girassol (podes tostá-los ligeiramente se quiseres)

Método

Aquece o forno a 180º C.

Lava bem os pimentos, seca e corta-os ao meio. Tira o pé, as sementes e alguma película branca que possa ter por dentro. Borrifa com 1 colher de sopa de azeite e leva ao forno por 15 minutos.

Entretanto, limpa os cogumelos (eu lavo-os e seco …) e corta-os em pedaços com cerca de 1 cm de lado. Lava também o caldo verde e escorre bem. Descasca e pica os dentes de alho.

Aquece o óleo de coco numa frigideira grande que possas tapar. Salteia o alho por 1 minuto. Junta os cogumelos e salteia por mais 3 minutos, mexendo para incorporar o sabor do alho.

Junta a couve/caldo-verde. Mexe com cuidado para espalhar a couve pelos cogumelos. Tempera com sal, pimenta e os oregãos. Tapa e deixa cozinhar por 10 minutos.

Mistura o sumo de limão com o tahini e mexe para incorporar. Deita por cima dos cogumelos e da couve já cozinhados e dá-lhes uma ou duas voltas para espalhar.

Recheia os pimentos meio-assados com o preparado dos cogumelos. Espalha os pinhões ou as sementes de girassol por cima dos pimentos recheados e leva ao forno por mais 15 minutos.

Ao fim deste tempo tira-os do forno. Podes agora temperar com a restante colher de azeite virgem extra e, caso queiras, mais um borrifo de sumo de limão.

E então, vais experimentar? 

Escreve um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *