Health Coach, Portugal, Sílvia Almeida, Glow Chef
Health Coaching

Health Coaching: uma carreira com alma!

Health Coaching …

Se me segues há algum tempo sabes que chegar aqui foi um percurso de alguns anos. Caso me conheças menos, sugiro que leias a página Sobre a Sílvia para perceberes melhor o meu percurso.

Demorei um ano – mesmo, 12 meses completos! – a decidir fazer o Health Coaching Training Program com o Institute for Integrative Nutrition. Mas ao fim da primeira aula, já sabia que tinha encontrado o meu lugar.

Tudo o que aprendi, todas as pessoas que conheci, tudo o que pratiquei … foi como se me tivesse encontrado a mim própria. E o meu objetivo de ajudar pessoas que se debatem com sonhos de mudança mas que não sabem como começar, bom… isso tornou-se a minha segunda natureza.

Se pensas que isto pode ser uma via profissional para ti, encorajo-te a ler o Curriculum do curso e a veres uma aula.

Desde cedo que me dispuz a colaborar com o próprio IIN e comecei a publicar receitas no seu blog. Foi uma supresa, mas também uma satisfação, quando recebi os convites para responder a uma entrevista mais longa, e depois a estar presente na própria homepage com um testemunho.

Nunca publiquei a entrevista no meu website, não sei porquê… Mas hoje é #healthcoachday e que data melhor para o fazer??

Esta é a tradução da versão original, em inglês, que podes ler no website do Institute of Integrative Nutrition. Aqui vai.

 

COMO A SÍLVIA TAVEIRA DE ALMEIDA AJUDA HUMANOS OCUPADOS A ENCONTRAR UM ESPAÇO SEGURO DE BEM-ESTAR INDIVIDUAL

Sílvia Taveira de Almeida é uma Integrative Nutrition Health Coach, mentora de alimentação saudável, e fundadora da Glow Chef. Ela ajuda pessoas ocupadas – homens e mulheres – a encontrar o estilo de vida saudável de que necessitam para perder peso de forma saudável e sustentável, ao mesmo tempo que as ajuda a gerir o seu stress e a encontrar um espaço seguro de bem-estar individual. Sílvia é uma empresária, casada e mãe de dois filhos. Ela acredita que cozinhar em casa e uma alimentação saudável a tornaram mais feliz e mais forte.

P: O que estavas a fazer antes de te inscreveres na Integrative Nutrition?

R: Antes de me inscrever no IIN, já estava a fazer um blog sobre alimentação saudável e fiz algumas aulas, incluindo aulas particulares de cozinha e workshops. Além disso, tenho uma empresa de investimento business angel, que co-financiei com alguns colegas da Católica Lisboa School of Business and Economics (onde obtive a minha licenciatura em Economia).

P: O que te levou a explorar o Health Coach Training Program?

R: Quando comecei a ajudar pessoas nas minhas aulas particulares e workshops, senti que havia barreiras internas que eram mais profundas do que simplesmente não saber o que comer. O meu diálogo foi-se tornando cada vez mais pessoal. Percebi que, se queria ter o impacto que pretendia, precisava de mais conhecimentos e mais ferramentas para ajudar as pessoas a mudar a partir de dentro, de uma forma que nenhuma receita saudável conseguiria.

P: Como mudou a tua vida desde que te tornaste health coach?

R: Estes últimos seis meses têm sido uma época de crescimento pessoal profundo. Eu mudei muito com este programa! Na minha vida empresarial anterior, esperava-se que eu desse respostas a toda a hora. Avaliava-me pela minha capacidade de dar respostas rápidas e inteligentes a cada pergunta ou situação com que me deparava. Agora, como health coach, não devo dar respostas; crio o espaço para os meus clientes chegarem às suas próprias respostas, enquanto fazem perguntas e escutam atentamente. Isto foi uma coisa que me impressionou, e mudou totalmente a minha personalidade – ou talvez tenha tocado num lado de mim que estava adormecido – e até a minha relação com a minha família. Sinto-me muito melhor agora, confortável na minha própria pele e super feliz!

P: Que tópicos e módulos foram mais benéficos para ti?

R: Adorei todos os conhecimentos nutricionais – que falaram ao meu ‘eu’ analítico. Mas os módulos que mais me mudaram foram definitivamente os relacionados com a alimentação primária (primary food – tudo o que nos rodeia, e que nos é vital, além da alimentação propriamente dita). Começando com o Círculo da Vida – tão simples, mas tão poderoso. Ele guia todas as minhas conversas com os meus clientes. Mais uma vez, na vida empresarial, espera-se que sejamos unidimensionais, mas aqui temos permissão para ser muito mais!

P: Como é um dia típico para ti agora?

R: Como o meu negócio é baseado na web, e em duas línguas, preciso de criar muito conteúdo. Por isso tenho dois tipos de dia: o “dia da criação” e o “dia do coaching”.

O dia de criação começa normalmente com um pouco de pesquisa e depois de escrita. Eu escrevo todo o meu conteúdo e receitas pela manhã. O meu cérebro é muito mais criativo de manhã! À tarde, ou filmo vídeos para o meu canal no YouTube ou cozinho e fotografo os meus pratos.

O dia de coaching é dedicado aos clientes e normalmente implica uma revisão do progresso de cada cliente antes das chamadas (o meu coaching é feito através da web, Zoom ou WhatsApp). Após as chamadas, faço sempre um pequeno resumo do progresso, destacando sucessos e desafios individuais e lembrando cada cliente de sugestões particulares para as próximas semanas.

P: O que é que te diferencia, a tí e à tua prática?

R: Acredito que o que torna o meu health coaching diferente é o efeito combinado da minha história pessoal sobre o meu peso, alimentação e saúde; a minha ampla perspetiva de vida e o papel que o bem-estar da mente e do corpo desempenha nela; e o meu estilo de comunicação. O meu coaching está focado na perda de peso saudável e sustentável, e isso decorre da minha história pessoal.

E o facto de saber o que é ter um trabalho exigente, estar fora em reuniões durante dias, ter filhos pequenos, e depois ter filhos adultos – já passei por tudo isso! Lembro-me do que é ter 20 anos e sentir-me imortal; 30 anos e ter como objetivo a perfeição – o corpo perfeito, a carreira perfeita, a família perfeita; ou 40 anos e começar a ver o meu corpo a abrandar. Toda esta experiência dá-me uma visão dos obstáculos que os meus clientes enfrentam e permite-me guiá-los suavemente, sem dramas, dogmas ou outras restrições.

Como me tornei uma personalidade extrovertida (não nasci assim), tenho tendência a fazer com que as pessoas se sintam à vontade rapidamente. Escrevi um manifesto para a minha prática: “Oito Princípios para uma Vida Saudável”, onde afirmo os meus valores relativamente a este percurso, e que fornece o contexto de tudo o que escrevo ou sugiro.

P: Como ajudas os teus clientes a serem bem-sucedidos? Existe algum exemplo recente que se destaque?

R: Eu vou ao encontro do/da cliente onde ele ou ela está verdadeiramente: em termos de abertura à mudança, a sua relação com a comida, e também no contexto da sua vida. Também me certifico de que consigo falar a mesma língua! A primeira coisa em que trabalho é normalmente matar aquilo a que chamo o “discurso da culpa”, como “tenho-me portado mal – comi gelado” ou “tenho-me portado bem, não comi nada”. Tudo o que eu sugiro, mesmo as palavras que uso, vêm de uma escolha positiva, nunca de negação.

Um caso de sucesso recente com o qual estou muito feliz foi com um cliente do sexo masculino que estava preocupado por estar a ganhar peso e ver as suas análises de rotina a piorar – colesterol a subir, açúcar no sangue, tensão arterial a subir (o habitual). Este era um executivo de alta potência com um horário de trabalho muito exigente, bem como uma vida social dinâmica – tudo coisas que jogam contra ser livre de escolher os seus hábitos alimentares!

Quando começámos a trabalhar juntos, ele foi capaz não só de perder consistentemente o excesso de peso – a um ritmo de 2 kg por mês – mas também de aprender mais sobre si próprio e sobre os seus verdadeiros níveis de stress. Isto abriu uma pequena gaveta de consciência para a sua espiritualidade. O facto de uma mente tão analítica ser capaz de se abrir à noção de criar um espaço seguro de escolha pessoal foi, para mim, a prova de que fui capaz de gerar a empatia necessária para pôr em prática a nossa metodologia dentro do segmento que eu queria ajudar: o velho eu!

P: O que mais adoras no teu trabalho?

R: Adoro sentir que estou a ajudar as pessoas a reencontrarem-se através do seu bem-estar e adoro que o possa fazer de uma forma muito livre e criativa.

P: Como tens visto a necessidade de health coaches mudar ao longo dos anos?

R: O meu ponto de vista é provavelmente um pouco diferente, dada a minha origem, que é um mercado menos maduro. No entanto, mesmo em Portugal, a tendência é de crescimento rápido, e eu vejo-a como o resultado de três fatores:

  1. A necessidade de auto-aperfeiçoamento: Cada vez mais pessoas se sentem motivadas e seguras confiando em coaches para as ajudar a estabelecer e atingir objetivos, a progredir, seja no trabalho ou no contexto da vida pessoal.
  2. O acesso à informação: Na atual abundância de informação e partilha entre pares, as pessoas estão mais conscientes do facto de que os seus sintomas, frequentemente ignorados pelos médicos, podem ter outras soluções.
  3. Esperança de vida: Sentimos definitivamente a necessidade de nos mantermos saudáveis para tirar o máximo proveito da vida até aos 80 ou 90 anos!

P: Qual é a tua dica para equilibrar a tua família, o teu trabalho e o teu bem-estar pessoal?

R: Boa pergunta! Vou dar-te três: A primeira dica seria qualidade sobre quantidade. Dá prioridade, faz as suas escolhas e garante que estás presente – não importa onde estiveres, está lá! Não há necessidade de pensar no trabalho durante uma reunião de pais e professores, ou estar a brincar com um filho a pensar no trabalho.

A segunda dica é criar pequenas rotinas que ajudem a satisfazer as tuas próprias necessidades. Quer sejam alguns momentos para respirar sobre um chá quente durante o dia, dez minutos para fazer um diário de gratidão, ou um abraço à noite, estas são as pequenas coisas que aquecem o coração.

A terceira dica é planear as refeições dos dias da semana e cozinhá-las em lote. Esta é uma grande poupança de tempo (e ansiedade). Um dos episódios do meu podcast explica de facto como fazer isto de uma forma muito simples!

P: Conta-nos a tua forma preferida de acordar todos os dias!

R: Eu acordo cedo, mesmo sem um despertador. Antes de me levantar, trago os joelhos ao peito para esticar um pouco a minha zona lombar, o que é sempre um pouco “mal-humorada”. Depois disso, levanto-me e abro a minha janela. Respiro fundo, abro os braços e levanto-os na direção do teto, e sorrio – este é o início de um bom dia!

Sigo com o meu ritual de água quente com limão, de preferência de frente para outra janela – a luz do sol tem um lugar enorme na minha vida.

Esta entrevista foi publicada pela primeira vez em Setembro de 2019, no website oficial do Institute of Integrative Nutrition.

Em que consiste o Health Coaching Training Program?

Se tens interesse em saber mais sobre o programa e a carreira de health coach, fica com atenção aqui ao website pois estou a preparar um artigo de fundo sobre o tema.

No entrentanto, podes assistir a uma aula ou fazer download to Curriculum completo do curso.

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.